Ativação dos Espaços Públicos: conectando pessoas à cidade

Image for post
Image for post
A Batata Precisa de Você (foto: Rachel Schein)

Espaços públicos que estimulam interações entre as pessoas, conectando-as e convidando-as a desfrutarem da cidade, também promovem a mobilidade a pé.

A ativação dos espaços públicos por meio de ações sociais e execução de atividades interativas e de entretenimento propiciam vitalidade ao lugar e, como desdobramento, tornam o local mais seguro para a população.

Para tanto, é basal que se pense no desenho urbano em uma escala humana, abarcando detalhes perceptíveis àqueles que experimentam a cidade a pé. Ou seja, para além de questões de infraestrutura, esse desenho urbano deve também levar em conta aspectos intangíveis em seu planejamento, contemplando as necessidades da população.

Assim, entender e incluir estes aspectos no planejamento e desenho urbano é ponto-chave para que os lugares ganhem significado. Ao ganhar significado, desperta-se o senso de pertencimento, que desperta o senso de permanência. Em outras palavras, legitima-se a conexão das pessoas com o ambiente.

E, quanto maior a permanência e o senso de pertencimento, maior também a vontade e preocupação em cuidar dos espaços. Em decorrência, podem surgir ações de advocacy individuais e coletivas, que demandem cidades melhores, acessíveis e caminháveis, voltadas às pessoas.

Um exemplo é o coletivo MOB — Movimente e Ocupe seu Bairro, de Brasília, que acredita que os espaços públicos são um reflexo de como encaramos a cidade. E que as mudanças somente ocorrerão quando entendermos que o espaço comum é nosso, e não apenas de um governante ou uma empresa privada que não cuidou e não cumpriu o seu papel.

Desse modo, é imprescindível que ações de ativação dos espaços públicos engajem as comunidades, grupos e associações locais. Tendo em vista que estas pessoas terão propriedade para validar genuinamente tanto os problemas quanto as reais necessidades da região.

O Instituto A Cidade Precisa de Você sabe bem disso e busca promover a melhora, a articulação e a ativação dos espaços públicos ao articular os vários agentes dos territórios da cidade — comunidade local, movimentos civis organizados, terceiro setor, empresas e poder público.

Em São Paulo, Bela Rua, Basurama e Urb-i têm desenvolvido intervenções e projetos urbanos para transformar os espaços públicos da cidade em locais lúdicos, de convívio, arte, cultura e lazer.

Convidando as pessoas a viverem o lado de fora e a transformarem os espaços públicos em lugares que inspiram pessoas (Bela Rua)

Basurama

Basurama, coletivo de origem espanhol, trabalha desde 2001 com projetos criativos pra transformação do espaço público das cidades. A partir de resíduos, criam playgrounds, parques de brinquedos e convidam as pessoas de 0 a 99 anos a brincar!

Image for post
Image for post
A CIDADE É PARA BRINCAR — Reprodução: basurama.org

Diretamente de Curitiba (PR), o pessoal do Vaga Viva também realiza intervenções urbanas no intuito de ativar espaços.

Reprodução: fb.com/vagaviva

Na escala de prioridades o pedestre sempre deve estar em primeiro lugar. Os técnicos planejam a cidade pensando antes no carro, mas se esquecem dos pedestres. São os pedestres que movem tudo isso! (Ivo Reck, Vaga Viva)

Vamos lá, caminhantes. É hora de ativar os espaços públicos!

Written by

Quem promove mobilidade a pé?

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store